Operador de Telemarketing tem direito à pausa pós-agressão

operador telemarketing FOTO ASN Marcelle ChristineO operador de telemarketing ao sofrer uma agressão verbal de quem está atendendo tem direito a uma pausa para se restabelecer. É o que determina a Norma Regulamentadora 17 (NR17) das leis trabalhistas que estabeleceu parâmetros mínimos para o exercício da atividade. Hoje, 4 de julho, é Dia do Operador de Telemarketing.



O setor emprega em Sergipe mais de 5 mil trabalhadores. A atividade profissional ainda não tem uma legislação específica, mas existem projetos de lei em tramitação para disciplinar o tema na Câmara (PL nº 12/2016, do ex-deputado federal Jorge Bittar e do deputado federal Luíz Sérgio, ambos do PT/RJ) e no Senado (PL nº 673/2011, do senador Vicentinho Alves, e o PL 447/2016, de autoria da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa).  Os dois projetos visam definir regras para adequação da atividade, da jornada e do piso salarial.

A maior empresa de telemarketing em operação no estado de Sergipe é a italiana AlmaViva. Instalada no Bairro Industrial em Aracaju desde março de 2013, emprega atualmente mais de 5 mil trabalhadores.

Uma outra empresa, também de grande porte, estuda a viabilidade de se instalar em Sergipe na região metropolitana de Aracaju. A Atento, multinacional norte-americana, já esteve em Aracaju e estimou a geração de 6 mil empregos. Nada ainda está definido.

Atividades – O operador de telemarketing tem suas atividades voltadas totalmente ao cliente: identificar suas necessidades e efetuar a venda de produtos e serviços correspondentes, sanar dúvidas, registrar reclamações ou elogios, confirmar dados, fazer a retenção de clientes que querem cancelar serviços, agendar procedimentos, etc.

Para se destacar na área, o operador de telemarketing precisa ter ética na profissão, ouvir atentamente o cliente, manter o foco no atendimento, usar seu poder de persuasão e desenvolver maturidade emocional para lidar com a diversidade de pessoas e situações com que terá contato.

E você, operador do telemarketing, tem alguma história interessante, situação atípica que enfrentou a nos contar? Entre em contato com a gente.