Mulheres na Marinha

A presença da mulher na Marinha é algo relativamente recente. Vem de 1980, 7 de julho de 1980, dia em que foi promulgada a Lei n° 6.807, criando o Corpo Auxiliar Feminino da Reserva da Marinha (CAFRM), marco inicial e pioneiro da participação da mulher nas Forças Armadas brasileiras. Hoje, 7 de julho, é Dia de Ingresso da Mulheres nas Fileiras da Marinha.

Segundo a Marinha, a lei é resultado da visão e do empenho do então Ministro de Estado da Marinha, Almirante de Esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca. Ao longo dos anos, outras leis foram surgindo e a participação das mulheres foi sendo ampliada para diversas áreas de atuação, incluindo a Direção de importantes Organizações Militares. Com equilíbrio e competência, a mulher marinheira vem consolidando cada vez mais sua participação nos diversos Corpos e Quadros dos Oficiais e Praças da Marinha do Brasil

Em novembro de 2012, foi assinada a promoção da primeira mulher a ocupar um cargo de Oficial General das Forças Armadas  Brasileiras, a Contra-Almirante (Md) Dalva Maria Carvalho Mendes. Assim, a MB reafirmou seu pioneirismo, pois foi também a primeira Força que admitiu mulheres militares em seus quadros.

mulher na marinhaMais pioneirismo – Como parte do contínuo processo de atualização e aprimoramento da administração do seu pessoal, a Força Naval admitiu, em 2014, a primeira turma de Aspirantes femininas da Escola Naval.

Foram 12 vagas específicas para o Corpo de IM, destinadas a candidatas com idade entre 18 e 23 anos, que tivessem concluído o ensino médio.

As jovens, ao longo de quatro anos, vêm estudando disciplinas afetas às áreas de Administração, Contabilidade Geral e de Custo, Orçamento, Finanças, Abastecimento, Logística e Auditoria, dentre outras.

Para ingressar na Marinha clique Para saber quais as formas para ingressar na Marinha, clique aqui: https://www.marinha.mil.br/ensino/?q=concurso/formas-ingresso