Donos de ônibus dizem que desemprego  reduziu número de passageiros



O número de passageiros pagantes caiu 17,33% entre o primeiro semestre de 2015 e 2017. O setor estima que a queda do número de trabalhadores que usa diariamente o transporte público caiu por conta da redução dos postos de trabalho, demissões em muitos setores desde o início da crise econômica no país.

 A redução tem causado, segundo  o Sindicato das Empresas de Ônibus (Setransp), sérios prejuízos para o setor

 Cálculo do setor mostra que a diferença entre a tarifa e despesas aponta para uma defasagem de 29%. “Com essa realidade problemas aparecem frequentemente, como por exemplo, a paralisação na renovação da frota de ônibus”, cita nota do Setransp. 

Segundo o Sindicato, há três anos a capital e a região metropolitana não têm renovação com ônibus novos. Outro problema apontado pelo setor, é a dificuldade de todos os meses para pagar os salários dos seus colaboradores em dia.

De acordo com o Setransp, nos últimos cinco anos, os custos para operação no serviço do transporte público na Grande Aracaju tiveram 53,08% de aumento no preço do combustível e 53,84% de acréscimo salarial aos trabalhadores rodoviários. 

Nesse mesmo período a tarifa de ônibus marcou uma correção de 37,78%, sendo que na época do último reajuste — em dezembro de 2015 — o  percentual de reajuste já não atendia a necessidade de revisão da tarifa, de acordo com os aumentos dos custos, junto a queda dos passageiros pagantes do transporte, para equilíbrio do setor.