“Passagem deve baixar, e não aumentar”, diz MNP



O Movimento Não Pago (MNP) diz que o valor da passagem de ônibus deve baixar para R$ 2,60, e não aumentar. A tarifa custa hoje R$ 3,10 e os empresários querem aumentar para R$ 3,97, alegando prejuízos de R$ 30 milhões. Logo mais, a partir das 19h, o MNP faz reunião aberta na Praça da Juventude, no conjunto Augusto Franco, para discutir formas de mobilização para barrar o reajuste.  O prefeito Edvaldo Nogueira disse na manhã desta terça-feira, 01, no Jornal da Fan, da 99,7, que deverá anunciar a nova tarifa até o próximo dia 15.

Para o coordenador do MNP, Demétrio Varjão, qualquer aumento de passagem é ilegal e visa apenas o lucro dos empresários do transporte. Segundo ele, análise das planilhas de custos mostra que entre 2013 e 2016, o valor da passagem foi reajustado em 40%. Em 2013 a passagem custava R$ 2,25.

Varjão lembrou que as duas análises – a primeira em 2013, feita por especialistas, e a segunda em 2015, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) – mostram que o valor da tarifa de ônibus em Aracaju é superfaturado.

Reajuste é legal, diz Setransp – Mas, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp-Aracaju), o reajuste proposto de 29% é baseado na lei 1.765, de 1º de dezembro de 1991 que estabelece a forma e a planilha de cálculo do valor da tarifa.

NIBUS CHEIODe acordo com o presidente do Setransp, Alberto Almeida, todos os insumos inseridos nessa planilha são divididos pelo número de passageiros pagantes e este número, segundo ele, caiu 16% nos últimos dois anos. Já os custos aumentaram 17% nesse mesmo período. Ele disse, também, que a gratuidade (aqueles usuários que têm direito a usar o transporte sem pagar) cresceu 35,42% entre 2015 e 2017. Alberto Almeida reafirmou que os empresários estão tendo dificuldades para renovar a frota por conta do prejuízo que vêm enfrentando.