O suicídio dá fortes sinais de alarde

“Não desista, vá em frente, sempre há uma chance de você tropeçar em algo maravilhoso”, Charles F. Kettering, dono da General Motors e criador de vários inventos, entre elas a incubadora infantil. Ésta frase pode ajudar a quem esteja passando por uma grave depressão. Pode até salvar vidas!

No mês de prevenção ao suicídio, que ficou convencionado como “Setembro Amarelo”, é importante tratar do tema para prevenir. A campanha é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), com apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e visa desmistificar o  assunto e mostrar que o suicídio grita.

Sinais – Segundo psiquiatras, um suicídio nunca é de repente. A pessoa com essa tendência sempre dá sinais, mas que sinais são esses? Passa a dizer que a vida não tem mais sentido, que nada faz mais sentido para essa pessoa. De modo geral é possível notar mudanças no padrão de comportamento. Pode haver isolamento social, ou mesmo haver menção a ideias de por fim à vida.

CVVO que fazer – Segundo o psiquiatra da Rede Brasileira de Prevenção do Suicídio Carlos Felipe Almeida D’Oliveira, o ideal é conversar com a pessoa e não deixá-la sozinha. Ao conversar, procure não falar muito e ouvir mais, já que muitas vezes a pessoa só precisa ser ouvida. “Se possível, acompanhe-a a um profissional de saúde e peça orientação”, diz. Outra medida é retirar acesso de ferramentas potencialmente destrutivas dentro de casa – como arma, remédios e substâncias tóxicas – para evitar o uso delas em um impulso.

Onde buscar ajuda – Buscar ajuda de um médico psiquiatra é fundamental. Além disso, o CVV mantém plantões para atender pessoas que estejam precisando desabafar, colocar para fora tristezas e problemas que podem levar o indivíduo a tirar a própria vida. Em Sergipe, o CVV pelos números 3213-7601 / Horário: 7 as 22 horas diariamente, ou ainda por meio do 141. O sigilo é mantido.